Follow by Email

Sunday, March 30, 2008

A bailarina da sombra

Agora é de noite
E a bailarina
Que não vive nem morre
Nunca esteve nua.
Era uma figura do sonho, uma recordação.
O seu corpo era uma nuvem
Dessas que ficam esquecidas depois da tempestade.
Agora ficará à deriva
Como uma vela que se acende dentro da escuridão.
E acende-se dentro do mais escuro rochedo
Para dele fazer um coração.
É por isso que a bailarina entra no labirinto e sai
Porque ao dançar
Acende uma luz
Que ilumina a escuridão.

4 comments:

Ana Pacheco said...

Vamos voar mais alto! Acreditar, sempre. VAMOS VOAR PELA BAILARINA, PELO LETHES, POR NÓS!

Anonymous said...

Olá!...
Voem!...
Voem bem alto!...
Voem sem medos pois as vossas asas não permitirão que caiam.
Beijinhos com muitas saudades. ;)

(Adorava ver-vos voar...)

...
elisabete santos

ana pacheco said...

Parece-me que temos uma fã que não nos esquece :) Obrigada pelos votos de voos altos! *****

Marc said...

essa montagem tá mt boa, podem dar-me referencias desse individuo =P

Mta merda pra vcs todos ;)