Follow by Email

Thursday, June 08, 2017

E se eu... cortasse o cabelo?

Inês Oliveira

E aqui estou, mais uma vez... A centésima, a milionésima vez... É um pecado assim tão grande amar o palco? Pisar o palco? Eu só queria uma oportunidade, mesmo como figurante... Nunca sonhei com o protagonismo... apenas com um pequeno papel. E nem isso consigo! Porque é que só escolhem rapazes? Agora até fazem audições para serem os rapazes a interpretar as heroínas de Shakespeare! Puristas de merda! Já não estamos no séc. XVI! Ao menos o Gil Vicente ainda escrevia para mulheres... Agora, quem é que no seu juízo perfeito vai encenar o Júlio César?! Mais de 50 personagens e só duas mulheres... E se eu escrevesse um texto só para mulheres? Para quê, ninguém me conhece... O mais certo era ter o trabalho e o texto ir parar à gaveta!... E se... Mudasse de vida? Não consigo. Eu quero mesmo é estar no palco. Ou atrás do palco... Mas agora já são os próprios actores que ficam na bilheteira...

Qual é o meu problema? Não sou especialmente bonita, mas também não sou horrível. Sou normal. Deve ser isso... Sou demasiado normal para actriz. Consigo decorar uma página de texto por dia. Mas de que é que isso me serve? Tantos anos a estudar... e agora só escolhem rapazes, até para interpretarem personagens femininas...
E se... Cortasse o cabelo? Não tenho mais nada a perder. 

Identidades - Ir a um casting

A angústia do actor antes do Casting

Projecto 2017 - Identidades Cena I

                                           Num casting, oito actores tentam a sua sorte.

Gala dos prémios de mérito Pinheiro e Rosa.

Os alunos do Clube de Teatro Pinheiro e Rosa que forma propostos para o prémio de Valor, por terem trabalhado de uma forma consistente com a Carolina do Vale.



Novas Formas de Censura

O Tapete Mágico criou este ano um micro projeto que foi apresentado em três ocasiões diferentes: Na Gala dos prémios de Mérito, ocorrida no Teatro das Figuras, no encontro Saberes em Festa e na conferência internacional Paticipatory Schools for Better Democracy.


Este momento foi uma reflexão sobre a invasão de informação sem filtros, que provoca uma censura menos óbvia mas mais perigosa.